segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Informação 25- 2017/2018

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Informação 24 - 2017/2018

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Informação 23 - 2017/2018

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Informação 22 - 2017/2018


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Informação 21 - 2017/2018


Informação 20 - 2017/2018



Informação 19 - 2017/2018



Informação 18 - 2017/2018


terça-feira, 31 de outubro de 2017

Informação 17 - 2017/2018


Informação 16 - 2017/2018

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Informação 15 - 2017/2018

I. Descrição sumária do projeto REASE
O projeto REASE pretende iniciar, no Algarve, a constituição de uma Rede de Educação Ambiental para os Serviços dos Ecossistemas (REASE), consolidar alguns dos meios humanos e materiais essenciais para garantir a respetiva sustentabilidade, capacitar docentes e outros técnicos de EA e sensibilizar crianças, jovens e a população em geral para a importância dos ecossistemas como prestadores de serviços ao nível do Planeta e da Humanidade. Nesta primeira fase, serão desenvolvidas diversas ações centradas em ecossistemas costeiros e dulceaquícolas, cobrindo as diversas tipologias definidas pelas normas da candidatura em causa, e inseridas em duas das suas três áreas-chave: valorização do território e descarbonização da sociedade. Este projeto foi recentemente financiado no âmbito do FUNDO AMBIENTAL do Ministério do Ambiente. Este projeto tem como coordenadora a Associação Almargem integrando na Equipa Técnica do projeto entidades como a Universidade do Algarve/CCMAR, o Centro de Ciência Viva do Algarve (Faro), o Centro de Ciência Viva de Tavira, o Agrupamento de Escolas João de Deus e os Centros de Formação de Professores -  Ria Formosa (Faro e Olhão), Levante Algarvio (Vila Real de Stº António, Tavira, Castro Marim e Alcoutim)  e Litoral à Serra ( Loulé e S.Brás de Alportel) .
II. Objetivos do REASE
Estabelecer uma rede entre várias instituições da região algarvia, tendo como meta o planeamento e desenvolvimento de projetos de educação ambiental na área dos serviços ecossistémicos (SE´s), isto é, os serviços que os ecossistemas fornecem à humanidade, nomeadamente de provisionamento (fornecimento de alimentos, água, matérias primas e outros recursos), de regulação (descarbonização do mar e da atmosfera, regulação do clima, controlo de doenças, purificação das águas, proteção costeira, controlo da erosão,...), de suporte (ciclos de nutrientes, produção primária. biodiversidade,...) e culturais (benefícios educacionais, estéticos, espirituais e recreativos). No âmbito da tipologia “Efeito Multiplicador” (onde se incluem as ações de formação) constituem objetivos do REASE:
·         Capacitação de docentes, quadros da administração local, técnicos das organizações não-governamentais e de outras instituições públicas ou privadas, bem como os cidadãos em geral sobre o tema dos serviços ecossistémicos;
·         Criação de uma incubadora de projetos de Educação Ambiental formal dotada das condições materiais, técnicas e humanas para a elaboração, implementação e replicação de projetos inovadores de educação ambiental na área dos serviços ecossistémicos.
III. Sapais e Ervas Marinhas
Os sapais e as pradarias de ervas marinhas são amplamente reconhecidos não só como um dos ecossistemas mais produtivos do mundo mas ainda como os maiores sumidouros de carbono ao nível global. Estes ecossistemas estuarino-lagunares sequestram o carbono da atmosfera e dos oceanos, armazenando-o nas plantas e nos sedimentos dos sapais e pradarias marinhas. Este carbono retirado e armazenado é conhecido como "carbono azul". Trata-se na verdade de um novo paradigma em termos de descarbonização que passa não apenas pela diminuição da sua produção, mas sim, pelo aumento da sua fixação com reflexos diretos na redução do CO2 existente quer na massa de água quer na atmosfera. Importa pois valorizar este território e o serviço que é prestado e impedir a sua degradação ou destruição, contribuindo para mitigar o problema das alterações climáticas e simultaneamente protegendo a vida marinha e a defesa do litoral e zonas inundáveis. Infelizmente estas pradarias costeiras têm sofrido degradação e destruição, com impactos diretos na economia local uma vez que elas promovem o aumento da biodiversidade, proporcionando habitats para outras espécies vegetais e animais, muitas das quais com grande representatividade ao nível económico e suporte social das populações como é o caso dos bivalves, crustáceos, moluscos e peixes que são produzidos e explorados na Ria Formosa.
IV Descrição das ações de formação e integração com o projeto REASE
No decurso deste projeto estão previstas ações de formação, a ser promovidas pelos Centros de Formação de Professores, procurando abranger todos os ecossistemas alvo. No caso concreto dos ecossistemas costeiros serão realizadas duas ações abrangendo duas zonas geográficas: uma na Ria Formosa (promovida pelo Centro de Formação de professores da Ria Formosa) e outra no Sapal de Castro Marim/Bacia do Guadiana promovida pelo Centro de Formação de Professores do Levante Algarvio. As horas de formação presencial (25 horas) incluem fundamentalmente uma abordagem teórica, saídas de campo (em embarcação/via terrestre) complementadas com propostas de projetos a desenvolver futuramente com os alunos em contexto sala de aula. Os formandos terão acesso a recursos materiais e apoio científico (no âmbito do projeto REASE) que lhes permitam por um lado desenvolver os conteúdos teóricos adquiridos na ação de formação e sua aplicação em campo/laboratório. Existe igualmente a possibilidade de serem facultados recursos e apoio científico do CCMAR/Universidade do Algarve que possibilitarão o desenvolvimento futuro dos projetos propostos.
A finalidade geral do Curso de Formação proposto é assegurar a capacitação dos formandos em matéria dos serviços que os ecossistemas fornecem à humanidade e simultaneamente a sua integração em contexto sala de aula. Desta forma pretende-se:
1) Dinamizar a prática de ações de educação ambiental no tema dos Serviços Ecossistémicos (SE´s) ,
2) Promover a partilha de experiências entre formandos e formadores numa perspetiva de aproximação à comunidade e de partilha de recursos e de conhecimentos,
3) Contribuir para a integração dos SEs nos curricula e formação de educadores e orientadores de atividades de educação ambiental ,
4) Desenvolver atividades práticas de quantificação dos SEs nos sistemas costeiros do sotavento Algarvio, nomeadamente na Ria Formosa e Sapal de Castro Marim/Bacia do Guadiana.
Perfil dos formandos
·         Docentes com experiência em dinamização de projetos de Educação Ambiental e/ou
·         Docentes com interesse no tema dos Serviço Ecossistémicos em particular pelos Sistemas Costeiros da Ria Formosa e/ou

·         Interesse em aplicar os conteúdos/estratégias obtidos na ação de formação na sua prática educativa e na dinamização de projetos no âmbito do REASE.

Informação 14 - 2017/2018




segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Informação 13 - 2017/2018


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Informação 12 - 2017/2018


ENQUADRAMENTO
As consequências das dificuldades de linguagem oral e escrita em contexto escolar são muitas, embora algumas vezes sejam tão subtis que podem passar despercebidas, traduzindo-se mais adiante no insucesso escolar, com as consequentes repercussões ao nível emocional, pessoal e social.
Considera-se, por isso, essencial o conhecimento e deteção precoce destas dificuldades por parte do educador/professor, uma vez que, se não forem detetadas atempadamente, ou se não lhe for dada a devida importância, podem afetar determinantemente o processo de ensino/aprendizagem, devido às exigências de uma competência linguística que a criança não possui.

OBJETIVOS
- Reconhecer os principais sinais de alerta de alterações de linguagem oral e escrita;
- Conhecer principais estratégias para utilizar em contexto educativo;
- Desenvolver competências para lidar com crianças com perturbações específicas de linguagem oral e escrita em contexto educativo.

FORMADORES
Docentes da área departamental de Terapia da Fala da ESSUAlg:
- Ana Catarina Baptista (acjesus@ualg.pt)
- Susana Rodrigues (sfrodrigues@ualg.pt)
A frequência deste curso possibilita o reconhecimento enquanto ação de curta duração, nos grupos de recrutamento 100, 110, 101 e 111.

Vagas:
Número mínimo: 10 participantes
Número máximo: 20 participantes
5 inscrições para a modalidade de ensino à distância.
Local: sala a designar
Valor de inscrição: 20,00 euros
Inscrições em: http://bit.ly/2zfA8pQ 

domingo, 15 de outubro de 2017

Informação 11 - 2017/2018

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Informação 10- 2017/2018


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Informação 9 - 2017/2018


terça-feira, 3 de outubro de 2017

Informação 8 - 2017/2018

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Informação 7- 2017/2018

Informação 6 - 2017/2018


quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Informação 5 - 2017/2018

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Informação 4 - 2017/2018

PROJETO “Voluntariado Ambiental para a Água”
ANO LETIVO 2017-2018


No âmbito da implementação do projeto de autonomia e flexibilidade curricular dos ensinos básico e secundário, no ano escolar de 2017-2018 (Despacho n.º 5908/2017, de 5 de julho) a APA-ARH Algarve, em parceria com várias entidades regionais, propõe um conjunto de ações potenciadoras dos princípios elencados, através do projeto Voluntariado Ambiental para a Água.

A abordagem proposta permite a exploração de temas diferenciados e em contexto real, possibilitando as aprendizagens visadas e o aprofundamento de trabalho experimental, tendo sempre como referencial a Educação Ambiental para a Sustentabilidade e ou a Educação para a Cidadania.

Para complementar o enquadramento referido, sobre o projeto para o ano letivo de 2017/2018 consultar documentos no link:


https://www.dropbox.com/s/yka0hu7p7a18s7h/PropostaVAA%20123%20ciclo%202017_18%282%29%20%281%29.pdf?dl=0

Informação 3- 2017/2018

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Informação 2- 2017/2018

Informação 1 - 2017/2018

domingo, 23 de julho de 2017

FÉRIAS

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Informação 66 - 2016/2017

Inscrições em http://www.movimentoescolamoderna.pt/


terça-feira, 4 de julho de 2017

Informação 65- 2016/2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Informação 64 - 2016/2017










terça-feira, 6 de junho de 2017

Informação 63 - 2016/2017

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Informação 62 - 2016/2017

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Informação 61 - 2016/2017

terça-feira, 30 de maio de 2017

Informação 60 - 2017/2018

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Informação 59 - 2016/2017

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Informação 58 - 2016/2017

Informação 57- 2016/2017

terça-feira, 9 de maio de 2017

Informação 56 - 2016/2017

Informação 55 - 2016/2017

quinta-feira, 4 de maio de 2017

informação 54- 2016/2017

domingo, 30 de abril de 2017

Informação 53 - 2016/2017

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Informação 51- 2016/2017

Informação 50 - 2016/2017

terça-feira, 18 de abril de 2017

Informação 49 - 2016/2017




Informamos​
​ que já se encontram abertas as inscrições na 2ª edição da Pós-graduação em Intervenção Multidisciplinar nas Perturbações da Linguagem - detetar para atuar. 

Nesta edição
​é considerada a acreditação de todas as unidades curriculares que compõem o plano curricular desta Pós Graduação pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC).

Para mais informações deverão consultar o seguinte link: 


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Informação 48 - 2016/2017

quarta-feira, 29 de março de 2017

Informação 47- 2016/2017